As startups são uma realidade.Com um crescimento assustador, a quantidade de startups em Minas Gerais e no Brasil não para de aumentar. O mercado de startups está se tornando cada vez mais atrativo para empreendedores, investidores e curiosos. Nesse artigo, irei mostrar um passo-a-passo de como você pode tirar aquela ideia do papel. Como validar, elaborar seu MVP e lançar sua startup no mercado.

Como surgem as startups?

Você já deve ter ouvido algo parecido com isso:
“Eu tenho uma ideia milionária de uma startup que pode nos deixar ricos, a melhor ideia de app que você já ouviu, quer entrar comigo?”

“Tenho uma ideia de 1 bilhão de reais, mas não vou falar para ninguém, para não roubarem minha ideia.”
Parece familiar?

Vou te contar a realidade:
O sucesso de um negócio depende 1% da ideia e 99% de sua execução.
Vamos lá.

Ideia de 1 bilhão de reais

Para começar, não existe algo como ideia de 1 bilhão de reais. Existe apenas uma execução de 1 bilhão de reais. Não entendeu? Vou explicar um pouco melhor:

Eu tenho uma ideia de um carro voador que pode ser guardado dentro de uma mochila, totalmente sustentável que será vendido por R$ 499,90. Essa é uma ideia de 1 Bilhão de reais. Aliás, é uma ideia de 100 Bilhões de reais. Mas posso construir esse produto? Posso produzi-lo em massa por um custo baixo o suficiente para bater esse valor? Primeiro, temos os desafios óbvios de engenharia e logística.

Um carro que pode ser desmontado para caber dentro de uma mochila não existe, além disso, nenhuma fábrica conseguiria fazer esse tipo de produto. As ferramentas para se fazer algo semelhante, provavelmente, não foram inventadas ainda. Temos desafios regulatórios e legais, um carro voador poderá ser liberado para voo? Temos que nos preocupar com segurança e o espaço aéreo.

Desafios de mão-de-obra e financeiros. Existe algum engenheiro capaz de criar esse produto? Alguém irá investir nessa startup?

Ideias sem execução não tem valor

Bom, uma ideia de 100 Bilhões de reais irá gerar uma fila bem grande de investidores implorando por uma chance de participar nessa empreitada. Só colocar isso online e contratar alguns funcionários para responder as milhares de ligações que irei receber, certo?

É uma ideia de 100 bilhões! Me dê o dinheiro e seremos ricos. Agora, a verdade inconveniente:
Sua ideia não vale p**** nenhuma.

Não significa que não é uma ideia brilhante. Mas ideias brilhantes sem execução são inúteis. Meu carro voador compacto é uma ideia brilhante. Talvez tendendo ao impossível, mas o conceito de celulares também era impensável no século XIX.

Então, nenhum investidor em condições de sanidade mental iria investir em uma ideia dessas. A não ser que eu fosse o Elon Musk – e mesmo assim seriam bem céticos em relação a isso tudo.

 

Musk conseguiu construir foguetes! Mesmo assim, ele também teria dificuldades em convencer investidores, a não ser que ele tenha um protótipo que funcione, ou algo perto disso.

Compartilhe sua ideia para ter feedbacks

Fale sobre sua ideia e descubra se ela realmente faz algum sentido. Não pense que a sua ideia pode ser “roubada” ou “copiada”. Primeiro, tudo é copiado e adaptado de alguma forma, conhecimento não se cria por si só, é preciso um conjunto de ideias e experiências para se criar algo.

Segundo, compartilhar sua ideia abre espaço para feedbacks, que podem te mostrar um caminho melhor para sua futura startup. Terceiro, as pessoas já têm objetivos e um estilo de vida antes de ouvir sua ideia, pensar que elas iriam abandonar tudo para correr atrás de desenvolver algo semelhante é muita prepotência.

Importante ter em mente que obter feedbacks positivos não é validação alguma, somente o mercado pode validar ou rejeitar sua ideia.

Fit de mercado

“Peraí Meireles, calma. Não quero construir um produto tão complexo quanto esse seu carro voador, só pensei em um app que faz *insira qualquer ideia aqui* e nunca vi algo assim no mercado.”

Se for uma ideia relacionada a um app, possivelmente, deve ser fácil de ser executada, mas mais fácil ainda de ser batida no mercado. Isso significa que você precisa de um diferencial competitivo forte e uma barreira de mercado. Mas como você pode ter uma vantagem competitiva se não tem um produto? Ideias não são vantagem alguma.

Quando começamos na Midhaz, ainda este ano, tínhamos apenas um concorrente. Pelo menos, um que fazia algo bem parecido com o que nos propusemos a fazer. Atualmente, observamos inúmeros projetos trilhando esse caminho de marketplace reverso.

Não estou dizendo que fomos os responsáveis por isso, não fomos, mas uma “grande” ideia nossa, é uma “grande” ideia de um concorrente, que passará a ser uma “grande” ideia do mercado. Nós pivotamos algumas vezes e continuamos a aprimorar nossa solução cada dia mais.

Desenvolvemos nosso diferencial competitivo – mas nossos diferenciais não surgiram da ideia inicial – e sim, através da execução de alguns processos melhores que a concorrência. A ideia não significou nada, nem significa até hoje. Serei claro: investidores não investem em ideias.

Validação da ideia

Valide sua ideia para que você não desenvolva um produto que não está disposto a pagar.
Agora para a parte útil. Aqui está o passo-a-passo para a sua ideia de 1 bilhão de reais:

1- Landing Page

Faça uma landing page (página inicial focada em conversões) com um formulário de email com um título e um pitch (resumo da solução) de duas frases. Fale para as pessoas que se elas quiserem comprar/cadastrar/saber mais sobre seu produto ou serviço, elas precisam se cadastrar.

2- Primeiros acessos

Rode o Google ADWORDS com palavras-chave relacionadas ao problema que sua a ideia soluciona. O objetivo aqui é direcionar tráfego inicial para a sua landing page.

3- CPC

Veja se alguém se importa, de acordo com a quantidade de emails que coletar. Calcule o seu CPC (custo por clique) e saiba quanto seu lead (potencial cliente) custa.

4- LTV

Faça um palpite do LTV (lifetime value) de seus futuros clientes. Se for um carro voador por R$ 500 e você pensa que uma pessoa comum irá ter 4 desses ao longo de sua vida, seu LTV é R$ 2.000. Se for um SaaS (serviço entregue através de um software) e você espera que cada cliente gaste R$ 1.000/ano, calcule seu churn (cancelamento) e daí você poderá saber o seu LTV.

5- CONVERSÃO

Agora que você sabe seu LTV, é hora de estimar sua conversão. Apesar de ser um valor impossível de calcular antes de testar, projete que 1% dos emails que coletar irão pagar e se tornar clientes quando tiver o produto. Sim, 1%. Mais do que isso você estará se enganando. Confie em mim nessa.

6- ROI

Agora se pergunte, se você coletou 100 emails, significa que poderá ter 1 pessoa para comprar seu produto quando estiver disponível. Se seu CLTV for R$ 2.000 e tiver investido apenas R$ 1.000 em Adwords, significa que você validou que seu CAC (custo de aquisição de cliente) é menor que seu LTV.

Seu ROI (retorno sobre investimento) é positivo. Ou seja, a cada R$ 1,00 gasto no Adwords você irá faturar R$ 2,00. Teoricamente, você tem uma ideia vencedora.

7- MVP

Agora você constrói seu MVP (mínimo produto viável). Gaste o menor valor possível para desenvolver um protótipo da sua ideia que possa ser validado pelo mercado.

8- Validação do MVP

Faça com que essas pessoas da sua lista de emails experimentem seu MVP. Veja se estão dispostos a pagar para utilizá-lo. Comece fazendo uma pré-venda para o produto “real”. Confira se as pessoas irão comprar. Esse é o momento que você consegue calcular a conversão em sua landing page.

9- Escalar

Se tudo estiver ocorrendo bem até esse ponto, você pode tentar algumas estratégias: a. se aplicar em programas de aceleração para te colocarem frente a frente com um investidor b. fazer um networking e conseguir fazer seu pitch para um investidor c. montar uma equipe e tentar desenvolver o produto sem investimento externo.

Conclusão

O processo para criar uma startup é demorado, complexo e nem sempre uma boa ideia significa que o seu produto será aceito pelo mercado. Seguindo esses passos, você terá argumentos para convencer outras pessoas que seu produto tem fit de mercado e se tiver sorte, poderá convencer outras pessoas a pularem no barco com você.

Se tiver pulado todo o artigo, ou não lembre de seu conteúdo em sua totalidade, saiba o seguinte:
Investidores não investem em ideias, eles investem em execução.
Ideias não valem nada. A execução é que importa.

Gostou? Me siga no Linkedin.

Semanalmente, escrevo novos artigos relevantes, objetivos e didáticos, como este daqui.
Em um teclado não tão distante de você,
Henrique Meireles.

Tenho uma ideia de 1 bilhão de reais, e agora? Primeiros passos de uma startup.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

[if lte IE 8]
[if lte IE 8]
Bitnami