Quem trabalha com a venda de produtos já deve estar acostumado com uma rotina complexa. Isso inclui a compra e o armazenamento do estoque, gerenciamento de capital de giro, fretes, trocas e devoluções. Mas você sabia que é necessário vender sem precisar de nada disso? Então conheça o Dropshipping e viva essa realidade!

Certamente você já viu algo parecido , mas não necessariamente com esse nome, na compra de produtos diretos da China. Mas existe também o Dropshipping nacional, que é um grande concorrente dessa modalidade. Neste, artigo, você saberá os prós e contras de cada um.

Ao decorrer da leitura você também vai descobrir o que é e como funciona essa técnica, ver o passo a passo completo e aprender mais sobre prós e contras de fornecedores e plataformas que trabalham com o Dropshipping. Então, se já vende ou quer vender produtos, está na hora de aprender a economizar tempo e dinheiro, obtendo mais renda.

Boa leitura!

Dropshipping: o que é

Apesar do nome em inglês, essa técnica de venda é bem simples. O Dropshipping consiste em um modelo de negócios no qual o lojista vende diretamente do estoque do fabricante ou fornecedor, atuando como um revendedor online.

O conceito ficou mais conhecido nos Estados Unidos e na China, que são os maiores nomes do comércio virtual no mundo, mas chegou ao Brasil e tem mudado a cabeça de milhares de pessoas que buscam renda sem ter de gastar muito tempo ou dinheiro.

Com o crescimento do e-commerce, o Dropshipping surge como tendência para diminuição de custos e desburocratização da cadeia logística. Por parte do fornecedor, tem-se a exposição da marca em sites de terceiros e o aumento de seu faturamento. Por parte do revendedor, há a oportunidade de faturar com a venda de produtos sem precisar investir em estoque e realizar a entrega.

O volume mensal de pesquisas no Google contendo esse termo ultrapassa os 30 mil. Isso quer dizer que, cada vez mais, as pessoas têm se interessado em saber o que é e como funciona esse modelo. Consegue entender o porquê dessa técnica ser considerada o futuro da venda online?

Como funciona

Todo o processo do Dropshipping acontece em uma plataforma online que integra os três principais participantes:

  1. O fabricante ou fornecedor;
  2. O lojista;
  3. O consumidor final.

Fabricante/fornecedor

O fabricante disponibiliza seu catálogo de produtos, ou parte dele. Assim, eles são oferecidos a preço de atacado ou varejo, dependendo da negociação, para o revendedor. A grande vantagem para o fornecedor é ter um novo canal de vendas sem gerar custos para sua operação.

Lojista

Já o lojista precisa montar o seu e-commerce e abastecê-lo com produtos de seus fornecedores parceiros. Ele divulga a sua loja em diversos canais existentes, sejam eles on ou off-line, atraindo assim cada vez mais visitantes para o seu site. Mais visitantes significa uma probabilidade maior de obter mais vendas.

Consumidor final

O consumidor final muitas vezes nem fica sabendo que está comprando um produto via Dropshipping. Isso porque ele não possui acesso ao fabricante, apenas ao site do revendedor em que realizou a compra.

Ele é beneficiado, no entanto, com preços mais baixos que os da concorrência, já que os custos com compra e armazenamento de estoque, assim como a burocracia relacionada, simplesmente não existem.

Como fazer Dropshipping

Se você tem costume de fazer compras pela internet, é provável que já tenha feito alguma por Dropshipping. Em compras internacionais, geralmente realizadas pelo Aliexpress, também é comum vir, na embalagem do produto, a inscrição “send as dropshipping“.

Essa técnica é mais comum do que você imagina, mas muitos clientes nem percebem. O consumidor final compra o produto sem perceber nenhuma diferença entre o modelo convencional e o modelo Dropshipping, já que nos dois ele recebe a encomenda no endereço informado.

A mágica do processo só é percebida pelo vendedor, que não precisa adquirir os produtos, e por isso tem uma série de vantagens que você vai ler abaixo. E também pelo fornecedor, que pode ampliar suas vendas por nem sempre ter de vender os produtos no atacado para os lojistas.

Passo a passo

Vender via Dropshipping e operar com essa técnica é muito simples. Isso porque o único trabalho do lojista é justamente vender os produtos e divulgar a loja para atingir esse objetivo. Qualquer pessoa pode empreender ou obter renda extra dessa maneira, sem precisar ter conhecimento técnico nem teórico do processo, apenas contratar as ferramentas e empresas corretas.

Após a venda para o cliente final

O processo é o seguinte: assim que o cliente final conclui o processo de compra, tanto o lojista quanto o fornecedor são notificados. A empresa mediadora, que é responsável pela plataforma de e-commerce, é quem fica responsável pelo processo a partir daí. O papel dela é fazer com que os produtos adquiridos cheguem até o endereço de entrega do cliente.

O custeio do frete, por sua vez, fica a cargo do cliente ou da plataforma. E o repasse do lucro sobre a venda é feito pela intermediadora após a finalização do processo.

Antes da venda para o cliente final

Mas e o processo antes da finalização da compra pelo consumidor final? Para o lojista, ele também é muito simples. Veja o processo de criação de um e-commerce filiado a uma plataforma de Dropshipping:

  1. Escolha da plataforma e do tipo de loja a ser adquirida;
  2. Montagem e configuração da loja virtual (identidade visual e layout);
  3. Escolha dos produtos a serem colocados à venda;
  4. Compra do domínio e/ou do gateway de pagamento (opcional);
  5. Divulgação da loja;
  6. Conferência de produtos de acordo com a disponibilidade do fornecedor.

Se isso ainda parece complexo para você, não se preocupe: vamos entrar em mais detalhes no decorrer deste artigo. Continue a leitura e não perca nada!

Plataformas

O processo de Dropshipping é relativamente fácil justamente porque há uma organização muito grande por trás disso tudo. Assim, é fundamental escolher uma plataforma eficaz e confiável para atuar, já que é ela quem vai ser responsável por reunir fornecedores, lojistas e clientes.

Para montar um e-commerce que vende por essa modalidade, no entanto, há algumas opções disponíveis:

  • Processos totalmente customizados;
  • Serviços parciais;
  • Plugins;
  • Plataformas completas.

Processos totalmente customizados

Montar um e-commerce do zero é caro e pode ser um pesadelo para quem não entende muito da área. Para isso, no entanto, há empresas de software que se tornam o caminho mais comum para quem busca abrir esse tipo de negócio.

O valor para se montar uma pequena loja online vai de R$ 5.000 até R$ 20.000, dependendo de fatores como a complexidade e a quantidade de funcionalidades previstas, o número de integrações com outros sites e plataformas e o prazo de entrega.

Por falar em prazo, ele também varia de acordo com o serviço solicitado, mas não é comum encontrar orçamentos a curto prazo. Isso quer dizer que não se deve esperar menos de 3 meses, sendo otimista, para a sua loja ficar pronta.

A grande vantagem é ter um controle total do seu próprio negócio, fazendo tudo do seu jeito. O problema, no entanto, é que o preço inicial alto não se compara aos gastos adicionais que serão sempre necessários para garantir a funcionalidade e a segurança do seu site.

Ao montar uma loja do zero e por conta própria, é preciso considerar que o catálogo também vai partir do zero. Isso significa que você fica totalmente responsável por encontrar produtos e fornecedores para vender via Dropshipping.

Serviços parciais

Uma opção para quem não quer — ou não pode — pagar tão caro em uma plataforma nem assumir tantas responsabilidades é adquirir o serviço de empresas que montam o seu e-commerce. Elas funcionam como um serviço intermediário, já que fazem boa parte do serviço pesado.

Um bom exemplo é o Mercado Livre. Ao adquirir uma loja nessa plataforma, que é o maior marketplace da América Latina, você dispensa grandes gastos e preocupações com domínio, hospedagem e outras atribuições importantes. Em contrapartida, precisa pagar uma mensalidade para que a sua loja esteja online.

Outro ponto negativo em relação ao Dropshipping é que você também precisa correr atrás de produtos e fornecedores para a sua loja, montando o seu próprio catálogo.

Plugins

Para os que entendem um pouco mais de marketing digital, é possível montar um site pelo WordPress e instalar alguns plugins gratuitos que irão proporcionar a venda de produtos. É valido lembrar também que, por serem gratuitos, eles possuem certas limitações.

Plugins como WooComerce e Magento fazem o seu site criado na plataforma WordPress virar uma loja virtual. Ainda assim, é preciso adicionar gateways de pagamento, que são os sistemas que garantem a segurança das operações (pagar e receber). Alguns deles são o Pagseguro, o Moip, Pagar.me e a Vindi.

A integração, no entanto, é um processo trabalhoso e caro. Isso porque essas plataformas cobram uma taxa por transação ou em cima do valor da compra.

Plataformas completas

Há ainda as plataformas que realizam serviços completos de Dropshipping, garantindo ao lojista a loja, o catálogo de produtos e fornecedores, as integrações necessárias, o frete e todas as burocracias relacionadas.

O catálogo é completo e proporciona uma economia de tempo e esforço gigantesca. Isso porque não é necessário pesquisar ou negociar com fornecedores, já que essas empresas já cuidam de toda essa parte. Já as funcionalidades são mais limitadas em relação à empresas de software e plataformas de e-commerce, mas o valor cobrado compensa a falta de extensões no produto.

A Midhaz, por exemplo, cobra um valor único para que o vendedor adquira sua loja online. Após isso, não há necessidade de nenhum outro pagamento, como mensalidade ou taxas sobre vendas. Por isso, se posiciona como uma ótima opção para quem quer empreender sem precisar investir muito.

Plataformas completas permitem vender por Dropshipping sem entender nada de programação, negociação com fornecedores ou conferência de estoque, já que todos esses sistemas já são integrados.

Fornecedores

O sucesso da técnica de Dropshipping depende diretamente de bons fornecedores. É necessário encontrar fabricantes ou distribuidores atacadistas que estejam dispostos a vender produtos online através de um intermediário, sem aumentar os seus custos.

Assim, é possível obter uma margem de lucro satisfatória e praticar um preço final que seja competitivo no mercado e atrativo aos olhos do cliente.

É preciso ainda considerar a qualidade dos produtos ofertados e a garantia da entrega ao consumidor final. Por fim, é preciso estar atento às atualizações de estoque para que os produtos à venda no seu e-commerce estejam disponíveis no inventário do fabricante.

No geral, é um processo longo e delicado, visto que o revendedor busca aumentar o seu lucro sem ter o volume necessário para conseguir preços de atacado ou descontos significativos. Existe o risco do revendedor negligenciar a conferência de estoque com o fornecedor, fazendo com que a sua loja tenha produtos que já não existem mais no inventário do fabricante.

A gama de fabricantes e distribuidores via Dropshipping é imensa, abrangendo empresas brasileiras e estrangeiras que vendem os mais variados produtos, de diversas categorias e com preços e qualidades distintos. É aí que entra uma das principais discussões sobre esse tema: o que é melhor, Dropshipping nacional ou internacional?

Continue o artigo para entender mais como você pode encontrar produtos de qualidade com um baixo custo.

Dropshipping internacional

Vender produtos de fabricantes ou fornecedores estrangeiros, principalmente da China, é uma opção para milhares de vendedores online. Não é à toa que o Dropshipping internacional é o mais utilizado no mundo todo. Basta abrir sites como Wish e Aliexpress para comprovar.

Vantagens

Fazer Dropshipping internacional sai muito mais barato, já que os produtos asiáticos têm preços significativamente mais baixos. E essa é a grande vantagem para lojistas e consumidores. Mesmo com taxas de importação e de transporte dos produtos, o valor final ainda costuma ser mais baixo do que o de produtos feitos aqui no Brasil.

Outra grande vantagem é a variedade do catálogo asiático, já que o mercado chinês produz quase tudo o que se possa imaginar. E isso inclui desde utensílios baratos até roupas, eletrônicos e produtos ultramodernos que ainda sequer chegaram ao mercado brasileiro.

Desvantagens

O risco de trabalhar com esse tipo de serviço, no entanto, é a alta taxa de problemas devido a fatores relacionados à  logística de uma entrega internacional. São alguns deles:

  • Atrasos na entrega;
  • Avarias (danos) nos produtos;
  • Problemas na alfândega;
  • Extravio de produtos.

Trazer produtos da China para o Brasil, embora seja uma estratégia barata, é perigoso porque, geralmente eles vêm de navio. Isso por si só já significa um prazo maior de entrega, no qual é difícil prever ou cumprir com exatidão já que a logística envolve longas viagens de navio.

Por falar em processo logístico, no Dropshipping internacional ele envolve vários estágios e equipes. Isso também pesa no prazo de entrega e na burocratização do frete.

Outra grande desvantagem é a qualidade dos produtos chineses. Por serem bem mais baratos, o custo de produção baixo justifica o uso de materiais de baixa qualidade e de construção simplificada.

Isso geralmente causa uma baixa durabilidade, que aliado ao transporte aquático torna as chances do cliente final comprar um produto que talvez já chegue danificado mais altas.

Todos esses fatores tornam esse processo incerto, o que pode impactar diretamente na reputação da sua loja. Mesmo vendendo produtos de terceiros, como é conceito do Dropshipping, o lojista é que será lembrado pelo cliente final, e não o fabricante ou fornecedor.

Dropshipping nacional

Uma oportunidade de fugir das burocracias e problemas comuns ao Dropshipping internacional é vendendo produtos de fabricantes ou fornecedores brasileiros. É preciso ter em mente, no entanto, que nem todos têm experiência com essa técnica, já que é relativamente nova por aqui.

Vantagens

Logisticamente falando, produtos nacionais possuem menor prazo menor de entrega e uma maior possibilidade de serem entregues. Além disso, o consumidor final tem acesso à um catálogo de produtos conhecidos.

Fechar com fabricantes e fornecedores nacionais garante uma maior segurança em relação à qualidade dos produtos, à eficiência do serviço de entrega e à satisfação do cliente final. Além, claro, de valorizar o produto e a economia nacionais.

No Dropshipping nacional é mais fácil encontrar fabricantes e fornecedores para se fazer parcerias, bem como manter uma comunicação próxima com eles. Isso porque quase não há barreiras físicas ou idiomáticas.

Desvantagens

Comparado ao modelo internacional, esse tem como desvantagem os preços mais altos praticados. Isso porque, apesar de os produtos serem nacionais, é praticamente impossível competir com a produção chinesa.

Mas para quem se importa mesmo com qualidade e satisfação, esse não chega a ser um problema.

Empresas

Empresas de Dropshipping são aquelas que negociam com fornecedores de confiança, oferecem aos lojistas um catálogo de produtos de qualidade a preço de atacado e garante a responsabilidade sobre o frete.

Um exemplo desse tipo de prestador de serviço é a Midhaz, startup pioneira nesse mercado porque atua com fabricantes e fornecedores 100% brasileiros. Veja como isso é possível:

A Midhaz fecha com fornecedores de todo o Brasil. Para terem seus produtos aprovados na plataforma, eles precisam atender a 04 principais requisitos:

  • O fornecedor precisa ser um fabricante;
  • O fornecedor não pode ter histórico de atraso e/ou reclamações constantes;
  • Os produtos ter qualidade atestada;
  • Os produtos precisam ter um preço competitivo.

Uma boa empresa de Dropshipping é a solução ideal para quem deseja vender produtos sem ter estoque, com facilidade e simplicidade, sem complicações. A grande vantagem é que o lojista fica a cargo apenas de divulgar a loja, os produtos e vender. Todo o restante da operação é terceirizado.

Entendendo melhor a Midhaz

Com o fornecedor sendo um fabricante, a venda é realizada direto da fábrica. Assim, não há intermediários nessa operação. Além disso, com o alto volume de vendas da plataforma, a negociação é favorável ao lojista, que tem sua margem de lucro garantida, e ao consumidor final, que continua pagando barato.

Só é permitido a entrada de fornecedores de confiança, o que traz credibilidade à operação, minimizando os riscos inerentes ao Dropshipping. Não há histórico de produtos que não são entregues.

Vantagens do Dropshipping

Para fechar esse artigo, vamos resumir as vantagens de se vender utilizando a técnica do Dropshipping. Começar um novo negócio é um grande desafio, e todo o processo de criação e operação de uma loja online pode ser desanimador logo de início.

Por isso, o Dropshipping surge como um facilitador, já que tira do lojista a responsabilidade sobre processos específicos que saem da área de conhecimento de um microempreendedor.

Negociar com fornecedores, criar um e-commerce, realizar a entrega, cuidar das burocracias, legalizar a empresa, realizar o investimento inicial, comprar e gerir o estoque, se preocupar com divulgação, marketing, vendas, pós-vendas e outros processos relacionados são muito cansativos.

Escolher uma empresa que cuida disso tudo, deixado a cargo do lojista apenas as tarefas de divulgar e vender, permite a ele poder focar mais tempo no que é necessário para obter sucesso e lucro.

O Dropshipping é vantajoso para empreendedores e pessoas que já têm loja online, mas pode facilmente ser operado por pessoas em busca de renda extra mesmo sem ter experiência com vendas ou empreendedorismo. Isso porque a plataforma faz praticamente todo o trabalho duro.

Dessa forma, qualquer pessoa pode ser um empreendedor investindo pouco, trabalhando em casa e dedicando poucas horas do dia a isso. Basta adquirir uma loja, personalizá-la, escolher os produtos a serem vendidos e divulgar o e-commerce on e off-line.

E aí, se interessou pelo assunto? Então faça como mais de 4 mil pessoas de todo o Brasil e monte sua Loja Midhaz! Faça Dropshipping sem complicações, sem ter estoque e sem sair de casa. Conheça a Midhaz agora!

Dropshipping: descubra o que é e aprenda TUDO sobre como vender sem precisar ter estoque

Uma ideia sobre “Dropshipping: descubra o que é e aprenda TUDO sobre como vender sem precisar ter estoque

  • 31/07/2018 em 20:29
    Permalink

    Olá equipe da Midhaz! Sem dúvida eu achei super interessante essa publicação e a proposta que vocês da Midhaz oferecem…Eu gostaria desenvolver exatamente um trabalho como esse, de dropshipping, mas no momento não to em condições financeira pra adquirir a minha loja virtual junto à Midhaz. Por ventura houver alguma solução nesse sentido, serei imensamente grato, ok? Obrigado pela oportunidade, e até mais!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

[if lte IE 8]
[if lte IE 8]
Bitnami