A maior plataforma online da América Latina conecta 10 milhões de vendedores a mais de 30 milhões de compradores ativos, com uma média de nove vendas por segundo. Por isso, muitos empreendedores querem saber: como vender no Mercado Livre?

Em um contexto de crescimento do comércio digital, cada vez mais pessoas veem os marketplaces como ótimas oportunidades de obter renda extra de forma descomplicada. Por isso, este artigo vai ajudar você a entender melhor o Mercado Livre e fechar muitas vendas. Boa leitura!

O que é Mercado Livre?

Criado na Argentina, em 1999, com a intenção de ser um site de comércio eletrônico aberto a qualquer pessoa que quisesse vender ou comprar produtos, o Mercado Livre logo passou a operar também no Brasil e em outros territórios da América Latina.

Hoje, a plataforma está presente em 18 países, com mais de 60 milhões de produtos, serviços e até automóveis ofertados em tempo real. São seis mil buscas a cada segundo, e 90% dos produtos vendidos são novos.

No Brasil, o Mercado Livre é 5º site mais acessado e o maior Marketplace, movimentando o,12% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

O que é um marketplace?

Marketplace é um espaço virtual no qual vários fornecedores e lojistas colocam à venda seus produtos e serviços.

No caso do Mercado Livre, é como se fosse um enorme shopping online com milhões pessoas e empresas anunciando para milhões de compradores. Existem ainda outras alternativas de marketplaces, como é o caso de plataformas como OLX, Amazon, Enjoei, eBay e Midhaz.

Marketplace x E-commerce

Após ler tudo isso, você deve estar se perguntando qual a diferença entre marketplace e e-commerce. Vamos tirar essa dúvida agora.

E-commerce é uma loja online. Como o próprio nome já diz, é um comércio eletrônico, só que pertence única e exclusivamente a uma só loja. Já o marketplace é um espaço que reúne vários e-commerces, e várias lojas vendem produtos e serviços em um mesmo lugar.

Como funciona?

Funciona da seguinte maneira: os fabricantes ou fornecedores devem fazer um cadastro na plataforma e cadastrar também os produtos e serviços que desejam vender. Em troca de estrutura, divulgação e visibilidade, eles pagam ao marketplace uma valor que varia de acordo com a plataforma.

Alguns marketplaces cobram pela simples utilização do espaço, como uma assinatura mensal. Outros calculam taxas sobre vendas e movimentações financeiras, e outros lucram a partir do fornecimento de funcionalidades premium. É comum ter mais de um tipo de cobrança em uma mesma plataforma.

Ainda comparando o marketplace a um shopping com várias lojas, cada lojista paga é responsável por suas instalações comerciais, como o nome do comércio, a logo e a identidade visual da loja.

Toda a parte que vai além dos serviços básicos oferecidos pelo proprietário, ou seja, estrutura da plataforma, é de responsabilidade do lojista. E isso inclui publicidade, marketing, promoções, compra de mercadorias, frete, trocas e devoluções e, claro, as vendas.

Quais as vantagens?

A grande vantagem de um marketplace é que, mesmo dividindo o mesmo espaço que vários outros concorrentes, os lojistas contam com um local de maior visibilidade e tráfego de visitantes. Assim como um shopping conta com muito mais consumidores do que um único ponto comercial isolado.

O fato de coexistirem vários empreendimentos vendendo produtos distintos de categorias, preços e funcionalidades diferentes, faz com que as marcas sejam mais conhecidas. Com isso, os custos de divulgação são necessários apenas para divulgar a loja em si, e não a plataforma.

A redução de gastos também se estende a funcionalidades básicas como domínio e hospedagem. Além disso, marketplaces costumam ter integrações com sistemas de pagamento virtual.

E as desvantagens?

A principal desvantagem de ter uma loja dentro de um marketplace é a grande dependência da plataforma. Isso porque o lojista é obrigado a lidar com condições e mudanças impostas.

Outro ponto negativo é a perda de identidade da marca, já que a plataforma geralmente tem muito mais visibilidade do que os vários estabelecimentos virtuais inseridos nela.

Por que empreender no comércio eletrônico?

O sucesso dos marketplaces aumenta cada vez mais em todo o mundo, e o Mercado Livre está aí para provar isso.

É melhor para quem compra

Os consumidores estão deixando de fazer compras físicas para comprar pela internet. Assim, eles desfrutam da facilidade de encontrar mais produtos e serviços em um mesmo lugar e com preços mais baixos devido à competitividade.

Com a democratização do acesso à internet e o crescimento do uso de dispositivos móveis (como smartphones) em frente a computadores e notebooks, o consumidor tem cada vez mais o poder de pesquisar e comprar o que quiser, de quem quiser e de onde quiser.

É melhor para quem vende

Já os lojistas veem no e-commerce uma oportunidade de vender mais demandando menores esforços e ainda gastando menos. Isso porque vender pela internet exige menos trabalho e investimento do que as lojas físicas.

Empreendendo no ambiente online, não é necessário ter uma loja física ou um espaço que não seja o seu próprio lar. Você ainda pode fazer o seu próprio horário, o que significa mais tempo livre para se dedicar a outras coisas importantes como a família e o lazer.

E não precisa ser um expert em vendas para obter sucesso e ganhar dinheiro. Isso porque basta, dentre outras coisas, escolher um nicho de mercado, ter bons fornecedores e fazer uma boa divulgação para atrair visitantes e clientes.

Quer saber como vender no Mercado Livre? Então fique atento os próximos tópicos!

Como funcionam as vendas no Mercado Livre?

Para entender mais sobre as vendas do Mercado Livre, é preciso entender mais a fundo como funciona essa plataforma.

Cadastro

Após se cadastrar como vendedor, você pode inserir os produtos que deseja vender na plataforma. É preciso especificar a categoria, o preço e outros detalhes que vão dar ao consumidor uma noção completa sobre o que ele pesquisa.

Planos

É preciso ainda escolher qual o plano a ser adquirido. Há três disponíveis: grátis, clássico e premium. Em cada uma delas há definições diferentes sobre a exposição e a duração dos anúncios, facilidades de pagamento e tarifas sobre produtos vendidos.

Vendas

O Mercado Livre permite que você venda produtos novos e usados, no atacado e no varejo, de categorias e fornecedores distintos. Eles podem ser todos expostos em uma única página dentro da plataforma ou separados como você preferir.

A exposição dos produtos na sua vitrine virtual depende unicamente de você, assim como a descrição e a precificação deles. É claro que, quanto melhor a divulgação e a exposição desses produtos, maior a chance de serem vendidos.

Frete

Ao concretizar uma venda, a entrega é de sua inteira responsabilidade. Para isso, são três opções possíveis: entrega pessoal, envio por meio da conta na plataforma ou pelo MercadoEnvios, que é uma ferramenta do próprio Mercado Livre.

Trocas e devoluções também devem ser feitas pelo vendedor. Por isso, é preciso ter planejamento e trabalhar com bons fornecedores para diminuir os riscos de avarias, atrasos e outros problemas.

É importante que os procedimentos sejam feitos conforme as instruções da plataforma. Você deve guardar o comprovante de entrega do produto, além de marcar o produto como entregue na lista de vendas do site.

Reputação

O Mercado Livre adota um sistema de qualificação das vendas concretizadas. Tanto o vendedor quanto o comprador são avaliados nesse processo de acordo com alguns critérios.

A qualidade dos produtos vendidos, o prazo de entrega e a relação entre comprador e vendedor são fundamentais nesse processo. Um esquema de cores representa o ranking da reputação do comprador e do vendedor.

Para incentivar o bom relacionamento e negócios bem sucedidos na plataforma, o Mercado Livre ainda bonifica os vendedores de acordo com a qualidade do serviço e o número de vendas feitas.

E como vender no Mercado Livre?

Agora que você já sabe como funciona as vendas no marketplace, que tal receber dicas de como vender no Mercado Livre? Com tantos vendedores e compradores, é fundamental se destacar para atrair mais clientes e fidelizá-los. Confira:

1- Escolha um bom segmento

Não é porque você é um vendedor virtual que deve trabalhar com várias categorias de produtos. Isso porque consumidores são mais propensos a dar credibilidade a lojas especializadas do que generalistas.

Para obter sucesso, busque ser referência no que faz. E isso inclui escolher um bom segmento e trabalhar nele. Assim, você estará mais propenso a ser reconhecido e recomendado por pessoas que realmente se interessam por esses produtos.

O objetivo, no entanto, é obter lucro, não é mesmo? Por isso, pesquise sobre quais categorias vendem mais, quais têm produtos com maior margem de lucro e quais apresentaram crescimento ao longo dos últimos anos.

Com essa lista em mãos, identifique quais os produtos com os quais você possui mais experiência ou familiaridade. Trabalhar com o que gosta é fundamental para garantir bons números para o seu negócio.

2- Domine o seu nicho

Agora que você já sabe que deve trabalhar com um segmento (o que pode incluir mas de uma categoria), é preciso ser um bom vendedor, acima da média. Até porque certamente vários e-commerces vão vender as mesmas coisas não Mercado Livre, não é mesmo?

Um bom vendedor precisa dominar o mercado no qual está inserido. Por isso, pesquise e entenda tudo sobre o seu segmento. Esteja atento sobre todas novidades, conheça o seu público-alvo e monitore a concorrência.

Esteja pronto para tirar qualquer dúvida dos consumidores, sejam relacionadas aos produtos ou à plataforma. É comum haver questionamentos sobre frete, trocas e devoluções, mas também sobre a funcionalidade do que está sendo anunciado.

3 – Trabalhe com bons fornecedores

Com um grande volume de vendas, a sua loja certamente será reconhecido (positivamente ou negativamente) pela qualidade dos produtos comercializados. E isso vai depender dos fornecedores com os quais você trabalha.

É muito comum no Mercado Livre ver produtos fabricados na China. Isso porque geralmente eles têm custo menor. Mas cuidado: essa escolha implica em assumir alguns riscos.

A chance desses produtos terem qualidade inferior é maior, assim como de chegarem ao Brasil com danos. Assim, além de um prazo de entrega maior devido à distância, trocas e devoluções também vão ser mais burocráticas.

4- Capriche nas descrições

Dificilmente alguém vai comprar um produto sem conhecê-lo. E esse é um desafio ainda maior no comércio virtual, já que toda o processo é online.

Por isso, facilite a vida do consumidor. Adicione descrições detalhadas aos produtos, como funcionalidades, dimensões e outras informações importantes. É preciso deixar o público o mais à vontade possível para adquiri-los, deixando o mínimo possível de dúvidas.

5- Não se esqueça das fotos

Uma imagem vale mais que mil palavras, certo? Então desperte no consumidor a vontade de comprar um produto com fotos realmente matadoras. Afinal, o aspecto visual é o primeiro contato que o público tem com o seu catálogo. Só depois disso ele lerá a descrição.

Para isso, seja estratégico e criativo. Ao vender um item de decoração por exemplo, por que fotografá-lo em um fundo neutro se você pode inseri-lo em um contexto e mostrar o quanto ele pode agregar a um ambiente?

Cada vez mais as pessoas buscam por experiências em vez de simples produtos ou serviços. Tenha isso em mente.

6- Use as melhores palavras-chave nos títulos

Assim que entram no site do Mercado Livre, 50% dos consumidores procuram os produtos que querem pela aba de busca. Os outros 50% navegam pelas categorias.

Por isso, você precisa usar as palavras certas para aparecer nos resultados de busca e se destacar da concorrência. Como fazer isso? Com palavras-chave:

  • Um título pode ter até 60 caracteres;
  • Verifique a gramática e a ortografia antes de submetê-lo;
  • Se o seu produto possui alguma vantagem sobre a concorrência, destaque-a;
  • Não utilize símbolos ou sinais de pontuação, nem coloque mais de um espaço entre cada palavra;
  • O subtítulo pode ter até 70 caracteres adicionais. Utilize esse espaço para usar informações complementares.

7 – Planeje e estipule metas

Um bom vendedor sabe onde quer chegar e como alcançar seus objetivos. É preciso analisar os dados das primeiras vendas para fazer projeções para os próximos meses, sempre visando vender e lucrar mais.

Tenha metas que envolvam fatores como o volume de vendas, o faturamento mensal, as avaliações dos clientes, as trocas e devoluções. Esses são grandes incentivos para crescer a sua loja e se tornar referência de mercado.

8-  Invista em divulgação

Por que esperar que os consumidores venham até a sua loja se ela também pode ir até eles? Usando estratégias de divulgação do seu e-commerce e dos produtos que são vendidos por ele, você garante um maior alcance e, claro, mais oportunidades de venda.

A melhor forma de divulgação é por meio das redes sociais. Principalmente pelo Facebook e Instagram, que têm a maior concentração de usuários. Com boas estratégias, você consegue mais seguidores, que vão se transformar em visitantes e/ou divulgadores da loja.

Publique novidades e promoções, apresente os seus produtos, financie campanhas focadas em grupos específicos de pessoas (baseadas em dados geográficos, pessoais e comportamentais) e aproveite as vantagens que a internet pode oferecer.

9 – Aproveite períodos sazonais

Há várias oportunidades de aquecer o comércio ao longo do ano, principalmente no Natal e na Black Friday. Sua loja pode e deve aproveitar isso! Invista em banners personalizados, produtos especiais e campanhas matadoras de divulgação.

Além da qualidade, o preço e as condições de pagamento também são fatores determinantes para a compra ou não de um produto. Por isso, ofereça vantagens ao consumidor e transforme a compra dos seus produtos em algo realmente imperdível.

11 – Invista também no pós-venda

Não basta apenas anunciar no Mercado Livre, vender seus produtos e ficar por isso mesmo. Você precisa dar toda atenção possível aos clientes. Até porque fidelizar consumidores é mais fácil e barato do que conseguir novos.

Dias após a venda, entre em contato (pela plataforma ou por e-mail) para consultar a satisfação do cliente com a compra. Mostre-se interessado na satisfação dele e disponível  para resolver possíveis problemas.

Um pós-venda eficaz faz com que os consumidores gravem a sua loja na memória. Assim, além de comprarem novamente quando precisarem, eles vão indicar seus produtos e serviços para outras pessoas. Quer divulgação melhor que essa?

10 – Avalie seus clientes

Os clientes do Mercado Livre podem ser avaliados assim como os vendedores. Você pode usar essa funcionalidade como um incentivo para que os consumidores também te avaliem.

Com produtos de qualidade, preços atrativos, boas condições de pagamento e assistência no pós-venda, tudo o que você precisa é de comprovações de que a sua loja é a melhor. Boas avaliações garantem bonificações e, claro, o destaque do seu e-commerce na plataforma!

Agora que você já sabe como vender no Mercado Livre, que tal se preparar para a época mais importante do calendário comercial? Acesse este artigo e aprenda como vender mais no Natal!

Como vender no Mercado Livre: o guia completo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

[if lte IE 8]
[if lte IE 8]
Bitnami